Loading...
Loading...

segunda-feira, 29 de abril de 2013

HOJE, 29/04/2013, ÀS 12:26 H, REGISTRAMOS O MAIOR NÚMERO DE NAVIOS FUNDEADOS - 39 - NA BTS ATÉ O MOMENTO

HOJE REGISTRAMOS UM NÚMERO RECORDE DE NAVIOS FUNDEADOS NA BAÍA DE TODOS OS SANTOS, 39 AO TODO ÀS 12:34H, GRANELEIROS, PORTA CONTÊINERES, QUÍMICOS, TANQUES, DRAGAS, ETC

OS PORTOS BAIANOS Á EXEMPLO DO QUE SE OBSERVA EM SANTOS E PARANAGUÁ,  SOFRE COM OS GARGALOS OPERACIONAIS QUE LEVAM AO PAGAMENTO  DE SOBREESTADIA OU DEMURRAGE PELO DONO DA CARGA, CONSEQUÊNCIA DO MAIOR TEMPO DE ESPERA PARA ATRACAÇÃO DAS EMBARCAÇÕES, RESULTANDO EM PERDA DE COMPETITIVIDADE DO PAÍS EM RELAÇÃO AO MERCADO GLOBAL.

DOS NAVIOS EM ESPERA, A MAIOR PARTE SÃO DE GRANELEIROS PARA EMBARQUE DE SOJA NO PORTO COTEGIPE E DESEMBARQUE DE FERTILIZANTES NO TERMINAL DE GRANÉIS SÓLIDOS DO PORTO DE ARATU. EM RELAÇÃO A ESSE ÚLTIMO, TUDO INDICA QUE O BERÇO NORTE ESTÁ INOPERANTE OU INTERDITADO HÁ ALGUM TEMPO, AS CAUSAS NÃO POSSO DEFINIR NESSE INSTANTE.


JOSEMAR

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A PONTE SALVADOR ITAPARICA E O CASUÍSMO

TRANSCREVEMOS OUTRO ELUCIDATIVO ARTIGO SOBRE MAIS UMA PRETENSA INTERVENÇÃO ESTRUTURAL A SER REALIZADA NO ESPELHO D'ÁGUA E EM PARTE DO ENTORNO DA BAÍA DE TODOS OS SANTOS, OU SEJA, A DITA PONTE SALVADOR / ITAPARICA!

JÁ EMITIMOS, NESSE BLOG, CONSIDERAÇÕES DE QUE NÃO SOMOS CONTRÁRIOS A CONSTRUÇÃO DA PONTE SALVADOR/ITAPARICA, ESSA ESTRUTURA É INEVITÁVEL.

MAS POR OUTRO LADO, TUDO DEVE SER INICIADO COM AMPLOS DEBATES NO SEIO DAS COMUNIDADES ENVOLVIDAS, COM ESTUDOS DE VIABILIDADE ECONÔMICA E PROJETOS CONFIÁVEIS, ALÉM DE LICITAÇÃO COM CARÁTER INTERNACIONAL. 

ACIMA DE TUDO, NÃO DEVE EXISTIR INTERESSES MAIORES DO QUE AS ESPECIALIDADES HISTÓRICAS, CULTURAIS E NATURAIS DA NOSSA BAÍA, TUDO SOBRE A ÉGIDE DOS PRINCÍPIOS DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL.

SE NÃO FOR DESSA MANEIRA, PODE PARECER QUE O ANÚNCIO DESSA OBRA SEJA APENAS UM FACTÓIDE POLÍTICO OU UM CASUÍSMO.

JOSEMAR 

 
 A GRANDE SALVADOR E A PONTE

POR MANOEL LORENZO, EM 22 DE MARÇO DE 2013
 
O anúncio de que o Governo do Estado iria implantar uma ponte ligando Salvador à Ilha de Itaparica, há pouco mais de um ano, causou um grande alvoroço inicial, particularmente nos círculos técnicos de planejamento urbano e regional, quando muitos profissionais se perguntaram de que buraco (ou colete) havia saído esta ideia. Com efeito, nenhum dos estudos ou planos oficiais, para Salvador ou sua Região Metropolitana, realizados até hoje, jamais cogitou incorporar uma proposta como esta, em nenhum dos horizontes de tempo estudados. Com a aparente má recepção da ideia, imaginou-se que o Governo Estadual  havia recuado, até para melhor fundamentar a proposta,através de algum substancial estudo, mas não é o que acontece. Há cerca de duas semanas o Governo trouxe de volta o assunto, agora anunciando não mais uma ideia, ou possibilidade, mas um fato consumado: o Governo havia contratado pelo valor de R$40 milhões, não somente a realização de estudos que fundamentem esta proposta mas, pasmem os leitores, também os projetos de engenharia. Em outras palavras,o Governo já decidiu construir a ponte, antes mesmo da realização dos estudos que a deveriam justificar e fundamentar.
 
Muitos e de diversa natureza foram os questionamentos levantados contra a ponte até agora: Quanto à Prioridade; Quanto aos Custos; Quanto à necessidade de ampla e aprofundada discussão; Quanto aos conflitos de fluxos veicular e naval e outros detalhes técnicos; Quanto à falta de um mínimo consenso sobre a sua necessidade etc. Cogitou-se até que seria um “factóide”, um truque eleitoreiro. Antes fosse.
 
Neste momento crucial para os destinos de Salvador e de sua Região Metropolitana, os questionamentos centrais a serem focados com urgência são dois. Em primeiro lugara falta de transparência na tomada de decisão de construir a ponte, ou seja, o inexplicável açodamento para a contratação de projetos de engenharia, quando preliminarmente existem tantas coisas a serem conhecidas e discutidas. Suspeita-se, a “boca pequena”, que o objetivo da pressa é dar o velho golpe de criar o fato consumado, para tornar o projeto irreversível. Em casos semelhantes, a utilização de argumentos do tipo “Os estudos já existem”, “Os recursos já estão alocados”, “Os recursos virão da iniciativa privada”, são as mentiras usadas para caracterizar como reacionários ou retrógrados os que se opõem ao autoritarismo de uma decisão deste tipo. Em países desenvolvidos, projetos deste porte passam por longo período de maturação das ideias e os estudos que os fundamentam são discutidos em profundidade, em particular com a comunidade técnica, às vezes por décadas. Em compensação, as obras são realizadas em poucos anos. Porquê no Brasil tem que prevalecer a cultura invertida, de se realizar projetos às pressas, sem discussões, e as obras levarem décadas para serem concluídas?
 
Em segundo lugar, torna-se necessário apresentar a fundamentação técnica deste projeto, pois nunca houve um estudo minimamente sério sobre a necessidade ou a importância dessa ponte. A justificação de quem a defende reside no argumento de que a ponte viabilizaria a expansão urbana de Salvador. Mas quem definiu que esta expansão é necessária?E se for, aconstrução da ponte é a melhor alternativa para proporcionar esta expansão? Existem outras alternativas para a expansão urbana e para a integração metropolitana? Quais são os impactos sociais, econômicos, ambientais e urbanísticos desta realização? Porque e para quem esta expansão urbana é importante?
 
Neste ponto vale a pena recordar o grande “frisson”ocorrido nas áreas técnicas, em meados da década de 70, há cerca de 40 anos, portanto, com a criação das Regiões Metropolitanas no País. Naquela oportunidade havia uma esperança muito grande, e uma crença, de que então seria possível equacionar o desenvolvimento territorial, integrar interesses municipais conflitantes entre sí e às vezes divergentes do próprio interesse Estadual. O Estado da Bahia saiu na frente, realizando uma licitação pública para realização do “Estudo de Uso do Solo e Transportes para a Região Metropolitana de Salvador - EUST”. Era Governador do Estado o Professor Roberto Santos e a CONDER, presidida pelo economista Osmar Sepúlveda, recém-falecido, foi o órgão contratante. Venceu a licitação um consórcio internacional que contou com a participação da empresa inglesa “Colin Buchanan &Partners”, mundialmente famosa em tecnologia de transportes urbanos, uma especialidade muito rara no Brasil, naquela época.

A elaboração do trabalho gerou 21 (Vinte e uma) alternativas de desenvolvimento para a RMS,  que foram “peneiradas”, através de metodologia específica e inédita no Brasil, com a participação não somente dos técnicos do Consórcio, mas também com representantes de órgãos técnicos estaduais e municipais envolvidos com a problemática de Uso do Solo e Transportes na Região Metropolitana. Isto aconteceu em plena ditadura, quando Governadores de Estado e Prefeitos das chamadasáreas de segurança nacional eram simplesmente nomeados. É inacreditável que 40 anos depois, com governos democraticamente eleitos, tenhamos que vivenciar momentos tão autoritários.
 
* Manoel Lorenzo é Urbanista e ex-Secretário de Planejamento nas administrações soteropolitanas comandadas por Manoel Castro e Antonio Imbassahy

"REGASEIFICANDO A BAÍA DE TODOS" - EDUARDO ATHAYDE


APRESENTAMOS O ARTIGO A SEGUIR, ESCRITO  POR EDUARDO ATHAYDE, DIRETOR DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DA BAHIA (ACB) E DO ROTARY BTS, VERSANDO SOBRE O TERMINAL DE REGASEIFICAÇÃO QUE ESTÁ SENDO CONSTRUÍDO PELA PETROBRÁS A 4 QUILÔMETROS A OESTE DA PONTA DE NOSSA SENHORA NA ILHA DOS FRADES.

A BAÍA DE TODOS OS SANTOS, PELOS SEUS ASPECTOS CULTURAIS, HISTÓRICOS, ARQUEOLÓGICOS, AMBIENTAIS E ECONÔMICOS, APRESENTA-SE COMO UM PATRIMÔNIO DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA PARA O POVO BAIANO, DEVENDO A SOCIEDADE PARTICIPAR ATIVAMENTE DE DEBATES EM RELAÇÃO A INTERVENÇÕES DESSA ENVERGADURA NA BTS, EM BUSCA DA RELAÇÃO CUSTO BENEFÍCIO.

PUBLICADO NO SITE "BAHIA NOTÍCIA" EM 25 DE ABRIL DE 2013.

NO LINK A SEGUIR, VOCÊ PODE CONHECER DETALHES OPERACIONAIS DO TERMINAL EM CONSTRUÇÃO: http://www.brasilportugal.org.br/nacional/noticia/3021,petrobras-anuncia-construcao-do-terminal-de-regaseificacao-da-bahia.html


JOSEMAR


"A quatro quilômetros a Oeste da Ponta de Nossa Senhora, Ilha dos Frades, no centro da Baia de Todos os Santos (BTS), está sendo construído o Terminal de Regaseificação da Petrobras. Dada a sua indiscutível importância econômica, locais apropriados competem para instalação desses terminais. Neste caso específico, contudo, além do aspecto econômico, a concorrência de outros aspectos igualmente relevantes levam a análises complexas e questionam as decisões das licenças dadas pelo Inema/Secretaria de Meio Ambiente.

A obra, em que pese os benefícios de aumento da capacidade de regaseificação do país dos atuais 27 milhões para 41 milhões de m3/dia, numa demanda nacional média de 74,9 milhões de m3 /dia, fere a BTS pelo impacto da localização imprópria, conflitando com o que determina a Lei 9.985/00, regulamentando o artigo 225 da Constituição Federal, e já foi contestada pela Prefeitura de Salvador e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O crescente valor do território molhado da BTS, patrimônio público singular, exige analises refinadas sob outras óticas que, com o mesmo peso, devem incidir sobre a decisão de localização de empreendimentos desta natureza. As dimensões históricas, sociais, culturais, ambientais, paisagísticas, turísticas, marítimas e preservacionistas da localidade, que deveriam pesar na concessão das licenças, pelo visto, não foram devidamente consideradas. O terminal poderá ser transferido para outro lugar da BTS se os aspectos citados – que suscitam embargos de diferentes ordens até últimas instâncias – forem legalmente observados.
  
Aproveitando o "verde", símbolo de sustentabilidade que assume novo status valorizando empresas, a Petrobras, presente em 25 países, inova, apropriando "valores verdes" à sua marca avaliada em R$19,7 bilhões pela Brand Analytics. Além das empresas, cidades e localidades estão valorando suas marcas como nova ferramenta para competir por turistas, recursos e negócios.

Quanto será que vale a marca preservada da "Baía de Todos os Santos", berço da história do Brasil, que confere identidade ao povo da baía – baianos – e ao seu Estado, e será exibida para o mundo com a força da imprensa internacional na Copa de 2014? Mesmo antes de ser valorada, a baía já está sendo prejudicada pelo terminal que, contrastando com a bela paisagem, manterá navios tanques flutuando nas águas centrais da BTS, com a proibição de qualquer outro tipo de uso ou aproximação dentro de um raio de 1,5 quilômetro.

O governo baiano, reconhecendo a BTS como a maior atração turística do Estado e tratando-a com a devida prioridade, pode contratar uma empresa internacional especializada em valoração de marcas para definir o valor da marca "BTS".

Visada também como potencial para o turismo religioso, já que é consagrada a "Todos os Santos", a baía está recebendo outros investimentos. Recentemente a Arquidiocese de Salvador constituiu oficialmente um grupo de trabalho para organizar o projeto de construção de uma imagem de Nossa Senhora, com 32 metros de altura - mesma altura do Cristo Redentor -, na Ponta de Nossa Senhora.

Como o Cristo, principal cartão postal do Brasil, a Nossa Senhora da Baía de Todos os Santos refletirá raios do sol durante o dia, e, à noite, iluminação especial a fará flutuar no mar escuro, sendo vista de todos os cantos da baía. Dirigentes do poderoso clube "Les Plus Belles Baies du Monde" (As Mais Lindas Baias do Mundo), sediado em Paris, que reúne governos, agencias de gestão e editores internacionais que cobrem baías, veem a Salvador para fazer matérias sobre o potencial da BTS, seus cantos, encantos e impactos indesejados.

A presidente Dilma, gestora sensível, que escolheu as águas limpas da BTS para passar o final de ano com a família, de certo não tem conhecimento claro do impacto negativo que o terminal da Petrobras está promovendo no coração da maior baia do Brasil, berço civilizatório do País. Se devidamente informada, tomará providências."

* Eduardo Athayde é diretor da Associação Comercial da Bahia (ACB) e do Rotary BTS.

sábado, 13 de abril de 2013

A BAHIA, E O NOVO MINISTRO DO TRANSPORTE - PARTE 2

CONFORME COMENTÁRIO, NA POSTAGEM ANTERIOR, DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, AS ATRIBUIÇÕES DE PLANEJAMENTO DA GESTÃO PORTUÁRIA NO ÂMBITO DO GOVERNO FEDERAL ESTÃO  SOB COMANDO DA "SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS", PORTANTO FORA DO PODER DE DECISÃO DO SENHOR CÉSAR BORGES, NOVO MINISTRO DOS TRANSPORTES.

O ÂMAGO DA POSTAGEM INICIAL NÃO FOI DISCUTIR A EFICÁCIA DO ORGANOGRAMA DO GOVERNO FEDERAL, OU SEJA, SE FOI INTELIGENTE CRIAR UMA NOVA ESTRUTURA, COM NOVOS GASTOS, PARA TENTAR FAZER O QUE NÃO FOI FEITO, QUANDO ESSAS ATRIBUIÇÕES, NO PRETÉRITO, ESTAVAM NO BOJO DO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. ISSO SERÁ ASSUNTO PARA NOVOS DEBATES.

TERMINO AFIRMANDO QUE: "AS DUNAS MUDAM DE LUGAR, MAS SEMPRE ESTÃO NO DESERTO", E DE UMA MANEIRA OU DE OUTRA, A BAHIA CONTA COM O PRESTÍGIO DO NOVO MINISTRO EM AJUDAR O DESENVOLVIMENTO DO NOSSO COMPLEXO PORTUÁRIO.

A RETIFICAÇÃO FOI REALIZADA.

JOSEMAR 

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A BAHIA, E O NOVO MINISTRO DO TRANSPORTE

TEORICAMENTE É UMA RELAÇÃO CUSTO BENEFÍCIO FAVORÁVEL, UM ESTADO TER REPRESENTANTES NO MINISTÉRIO DO GOVERNO FEDERAL, O QUE DEMONSTRA FORÇA POLÍTICA, E POSSIBILIDADES DE BARGANHAR MAIOR QUANTITATIVO DE TRANSFERÊNCIAS ORÇAMENTÁRIAS DA UNIÃO.

O MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, HOJE NO COMANDO DO EX GOVERNADOR CÉSAR BORGES, É UMA PASTA DE SUMA IMPORTÂNCIA, QUE DETERMINA PRIORIDADES E INVESTIMENTOS LOGÍSTICOS NA FEDERAÇÃO.

NESSES 7 ANOS QUE A BAHIA ESTEVE APOIANDO O GOVERNO FEDERAL, WAGNER COM LULA E DEPOIS WAGNER COM DILMA, NÃO FOMOS AGRACIADO COM NENHUM CARGO DE DESTAQUE, A NOMEAÇÃO DO SR. CESAR BORGES, POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, FOI O MOMENTO POLÍTICO MAIS RELEVANTE DESSE PERÍODO, APESAR DE POUCO MAIS DE UM ANO PARA NOVAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS, ONDE TUDO PODE MUDAR.

ESPERAMOS QUE O SR. CESAR BORGES, DIRECIONE SUA LUPA PARA ÀS DEMANDAS ESTRUTURAIS DO SETOR PORTUÁRIO DO ESTADO, CRIANDO AMBIENTE ECONÔMICO CONFIÁVEL PARA ATRAÇÃO DE  INVESTIMENTOS NESTE SETOR, QUE POR FRAQUEZA POLÍTICA A BAHIA SOFREU ATRASOS INCONSEQUENTES EM RELAÇÃO À OUTRAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO, À EXEMPLO DE SUAPE EM PERNAMBUCO, PECÉM NO CEARÁ.

RESSALTAMOS COMO INVESTIMENTOS PRIORITÁRIOS: À AMPLIAÇÃO DO PORTO DE ARATU; CONSTRUÇÃO DO SEGUNDO TERMINAL DE CONTÊINERES NO PORTO DE SALVADOR - PONTA NORTE; REQUALIFICAÇÃO DA FERROVIA SALVADOR - JUAZEIRO; IMPLEMENTAÇÃO DA HIDROVIA DO RIO SÃO FRANCISCO E ESTADUALIZAÇÃO DA CODEBA.

OS RECURSOS SÃO ESCASSOS E AS NECESSIDADES ILIMITADAS, COM ESSA MÁXIMA ECONÔMICA, FICA CLARO QUE NÃO HÁ RECURSOS PARA TUDO, ENTÃO SURGE O CAMINHO DAS PRIORIDADES. NESSE CONTEXTO O PORTO SUL E FERROVIA OESTE - LESTE , PODEM ESPERAR O MÉDIO PRAZO.

CABE DESEJAR AO NOVO MINISTRO DOS TRANSPORTE, SUCESSO EM SEU NOVO COMANDO, QUE TENHO CERTEZA QUE ALCANÇARÁ. 

segunda-feira, 1 de abril de 2013

LANÇAMENTO DO LIVRO - "LEITURA DE BORDO" - SÉRGIO FARIA

QUERO AGRADECER AO PROFESSOR SÉRGIO FARIA PELO CONVITE PARA O LANÇAMENTO DE MAIS UM  LIVRO DE SUA AUTORIA, "LEITURA DE BORDO", NO DIA 15/04/2013 ÀS 19 HORAS, NA SARAIVA, SALVADOR SHOPPING.

PROFESSOR UNIVERSITÁRIO, ENGENHEIRO E UM DOS CONHECEDORES PROFUNDOS DO SISTEMA LOGÍSTICO, PRINCIPALMENTE NA ÁREA PORTUÁRIA, ONDE SE DESTACA COMO EMPRESÁRIO, CONTRIBUINDO DE SOBREMANEIRA PARA AMPLIAÇÃO DOS ÍNDICES DE PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE DA ECONOMIA  BAIANA.

ACOSTUMADO A RACIONALIDADE DOS NÚMEROS TANTO NO CAMPO ACADÊMICO COMO NA ÁREA EMPRESARIAL, COM DIVERSAS PUBLICAÇÕES VERSANDO SOBRE ESSES TEMAS, SÉRGIO FARIA, DÁ UMA GUINADA, NAVEGANDO PARA O MUNDO DAS CRÔNICAS, O QUE DEMONSTRA SER UMA PESSOA SENSÍVEL E ECLÉTICA, "LEITURA DE BORDO" É A CONFIRMAÇÃO DESSES FATOS.

O LINK A SEGUIR É UMA ENTREVISTA REALIZADA COM O PROFESSOR SÉRGIO FARIA,  PELO BLOG, SOBRE A REALIDADE PORTUÁRIA DA BAHIA E OS ASPECTOS OPERACIONAIS DO "PORTO COTEGIPE".
http://viajantesemporto.blogspot.com.br/2012/04/realidade-portuaria-da-bahia-os-vetores.html



JOSEMAR