Loading...
Loading...

quarta-feira, 25 de abril de 2012

A REALIDADE PORTUÁRIA DA BAHIA, OS VETORES PARA O FUTURO - ENTREVISTA COM O VICE - PRESIDENTE DO GRUPO TPC - PORTO COTEGIPE - SERGIO FRAGA SANTOS FARIA


PROCURANDO CONTRIBUIR COM ROTAS LOGÍSTICAS QUE LEVEM  O CENÁRIO ECONÔMICO DA BAHIA A PRIMEIRA LINHA DA COMPETITIVIDADE GLOBAL,  COM GANHOS DE QUALIDADE DE VIDA PARA SUA POPULAÇÃO, O NOSSO ESPAÇO VIRTUAL, TEVE A HONRA DE ENTREVISTAR O DR. "SÉRGIO FRAGA SANTOS FARIA", UM DOS MAIS CONCEITUADOS TÉCNICOS NA ÁREA DE PORTOS E TRANSPORTE MARÍTIMO NO ESTADO, COM DENSA EXPERIÊNCIA NO MEIO ACADÊMICO, INSTITUCIONAL E EMPRESARIAL.

"SÉRGIO FRAGA SANTOS FARIA NASCEU EM SALVADOR, BAHIA, É ENGENHEIRO CIVIL PELA UFBA, MESTRE EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO COM CONCENTRAÇÃO EM SISTEMAS DE TRANSPORTES PELO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL DA PUC/RJ E PROFESSOR DO DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UFBA, ONDE TEM SE DEDICADO, SOBRETUDO, AO ENSINO E PESQUISA DAS DISCIPLINAS DE "PORTOS E VIAS NAVEGÁVEIS" E "EVOLUÇÃO DOS TRANSPORTES".

INICIOU SUAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS EM 1986, COMO ENGENHEIRO DA CIA. DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA, CODEBA, ONDE PERMANECEU  ATÉ MARÇO DO ANO 2000, TENDO EXERCIDO VÁRIOS CARGOS, DENTRE ELES O DE DIRETOR DA ÁREA DE ENGENHARIA, NO PERÍODO DE 1993 A 1999.

PUBLICOU, NO BRASIL E NO EXTERIOR, VÁRIOS TRABALHOS TÉCNICOS NA ÁREA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES E É AUTOR DOS LIVROS INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ATIVIDADE PORTUÁRIA, EDITADO PELA EDUFBA, EM 1995, TRANSPORTE AQUAVIÁRIO E A MODERNIZAÇÃO DOS PORTOS, EDITADO PELA ADUANEIRAS, EM 1998 E FRAGMENTOS DA HISTÓRIA DOS TRANSPORTES, EDITADO PELA ADUANEIRAS, EM 2001.

PARTICIPOU DE DIVERSOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO NA ÁREA DE LOGÍSTICA, PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE TRANSPORTES, TENDO SIDO, INCLUSIVE, BOLSISTA DA JICA - JAPAN INTERNATIONAL COOPERATION AGENCY NO CURSO MARITIME SEARCH AND RESCUE OPERATION AND MARITIME DISASTER PREVENTION, REALIZADO EM KOBE, NO JAPÃO, DURANTE O SEGUNDO SEMESTRE DE 1997.

ATUALMENTE, ALÉM DA ATIVIDADE DOCENTE, É VICE-PRESIDENTE DO GRUPO TPC, EMPRESA QUE, EM PARCERIA COM O GRUPO DIAS BRANCO, OPERA E ADMINISTRA O TERMINAL PORTUÁRIO COTEGIPE, EMPREENDIMENTO PIONEIRO COMO PORTO TOTALMENTE PRIVADO NO ESTADO DA BAHIA." 

MOINHO DIAS BRANCO E TERMINAL COTEGIPE


VIAJANTE SEM PORTO -  COMO SE DÁ A PARCERIA ENTRE O "GRUPO MOINHO DIAS BRANCO" E A "TPC"?


SERGIO FARIA – OS GRUPOS DIAS BRANCO E TPC SÃO SÓCIOS NA EMPRESA PORTO COTEGIPE LOGÍSTICA LTDA (C.PORT), RESPONSÁVEL PELA OPERAÇÃO DO TERMINAL PORTUÁRIO COTEGIPE.


V.S.P -  A "TPC" É OPERADORA PORTUÁRIA NO PORTO "PONTA LAJE", ATENDENDO A MOVIMENTAÇÃO DE VEÍCULOS DA "FORD"?


S.F - SIM O GRUPO TPC É O PROVEDOR LOGÍSTICO DA FORD QUE RESPONDE PELA OPERAÇÃO DO TERMINAL PORTUÁRIO MIGUEL DE OLIVEIRA (TERMINAL DE PONTA DA LAJE)


V.S.P - REALIZAMOS UMA POSTAGEM NO BLOG SOBRE O MAIOR COMPRIMENTO E CONSEQUENTEMENTE MAIOR DESLOCAMENTO DOS NAVIOS QUE EMBARCARÃO SOJA NESSA SAFRA, ESSE FATO É UMA CONSEQUÊNCIA DA DRAGAGEM REALIZADA?


S.F- SIM. NO FINAL DO ANO DE 2010, FORAM REALIZADOS SERVIÇOS DE DRAGAGEM E DERROCAGEM NA BACIA E NO CANAL DE ACESSO, O QUE PERMITIU A HABILITAÇÃO DO TERMINAL PORTUÁRIO COTEGIPE PARA NAVIOS DE PORTE PANAMAX.


V.S.P - OS NAVIOS QUE HOJE FREQUENTAM O T.C É O LIMITE OPERACIONAL DE PROJETO OU EXISTE ESPAÇO PARA DIMENSÕES MAIORES?


S.F- COM AS OBRAS DE DRAGAGEM E DERROCAGEM, O TERMINAL ESTÁ APTO A OPERAR NAVIOS DE PORTE PANAMAX.
NESTE MOMENTO, POR ORIENTAÇÃO DA CAPITANIA DOS PORTOS, ESTAMOS OPERANDO EM CARATER EXPERIMENTAL COM NAVIOS DE ATÉ 230 METROS DE COMPRIMENTO E CALADO DE 13,65 METROS, MAS, ULTRAPASSADA A FASE DE EXPERIÊNCIA, PASSAREMOS A RECEBER NAVIOS DE ATÉ 240,00 METROS DE COMPRIMENTO.


V.S.P - O PROJETO ORIGINAL DO T.C, CONTEMPLAVA 3 BERÇOS, 2 FORAM TERMINADOS, O TERCEIRO JÁ ESTÁ EM OBRAS? E OS EQUIPAMENTOS PARA MOVIMENTAÇÃO DE CARGA - SHIP LOADER, DO SEGUNDO BERÇO, FOI ENCOMENDADO E QUAL PREVISÃO PARA COMEÇAR A OPERAR?


S.F- EXISTE O PROJETO DO TERCEIRO BERÇO, MAS ESTAMOS OBTENDO AS LICENÇAS NECESSÁRIAS E AINDA NÃO HÁ PREVISÃO PARA INÍCIO DESTAS OBRAS.


V.S.P - ATUALMENTE QUAL A CADÊNCIA OPERACIONAL NOS EMBARQUES DE SOJA, TONELAGEM DIA?


S.F- TODA A LINHA DE EMBARQUE DO TERMINAL ESTÁ DIMENSIONADA PARA UM FLUXO DE 2.000 TONELADAS/HORA.


V.S.P - O TERMINAL COTEGIPE VEM OPERANDO SOJA NO SENTIDO EXPORTAÇÃO, TRIGO E MALTE NA IMPORTAÇÃO. QUAIS OS PLANOS PARA  ESSE TERMINAL VIR A ATRAIR OUTROS CLIENTES OU CARGAS A EXEMPLO DE GRANITO E CELULOSE?


S.F- NÃO HÁ PLANO OBJETIVO NESTE SENTIDO. COTEGIPE É UM TERMINAL GRANELEIRO POR EXCELÊNCIA E O OBJETIVO É A OPERAÇÃO DE GRÃOS ALIMENTÍCIOS.


V.S.P - O TERMINAL PODE OPERAR 24 HORAS, OU EXISTEM RESTRIÇÕES PARA OPERAÇÕES NOTURNAS OU EM CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE MARÉS?


S.F- O TERMINAL OPERA EFETIVAMENTE 24 HORAS, 365 DIAS POR ANO.
NÃO OBSTANTE, APENAS PARA AS MANOBRAS DE ATRACAÇÃO DE NAVIOS PANAMAX, NO PERÍODO EXPERIMENTAL, HÁ RESTRIÇÃO PARA QUE AS MANOBRAS SEJAM FEITAS NO PERÍODO DIURNO.


V.S.P - COMO SE DÃO OS CAMINHOS LOGÍSTICOS DA SOJA DESDE O OESTE ATÉ SER EMBARCADA NOS NAVIOS PARA OS DIVERSOS MERCADOS NO T.C?


S.F- ATUALMENTE, TODA A SOJA É RECEBIDA NO TERMINAL POR VIA RODOVIÁRIA, MAS EXISTE PROJETO DA FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA PARA DOTAR O TERMINAL DE UMA OPÇÃO FERROVIÁRIA.


V.S.P - O PROJETO DO PORTO SUL É UMA AMEAÇA AO TERMINAL COTEGIPE, OU O SENHOR VER VANTAGENS COMPETITIVAS PARA SEU TERMINAL?


S.F- DIFÍCIL FALAR POR HIPÓTESES. O PROJETO DO PORTO SUL SE DESTINA, PELO MENOS NA SUA FASE INICIAL, AO ESCOAMENTO DE MINÉRIO DE FERRO.
ENTRETANTO, CASO O PORTO SUL VENHA A SE HABILITAR PARA O ESCOAMENTO DE SOJA, HAVERÁ CONCORRÊNCIA COM O TERMINAL DE COTEGIPE, MAS COTEGIPE OFERECE INSTALAÇÕES DE UM TERMINAL DE PRIMEIRA LINHA, ESPECIALIZADO NA MOVIMENTAÇÃO DE GRÃOS E, EVIDENTEMENTE, SEMPRE SEREMOS UMA ALTERNATIVA BASTANTE COMPETITIVA.


V.S.P - A FRONTEIRA AGRÍCOLA DA SOJA NO OESTE BAIANO TEM ESPAÇO PARA EXPANDIR ÁREA FÍSICA E PRODUTIVIDADE, E SE TEM, EM QUE PATAMAR?


S.F- SIM. HÁ ÁREA PARA EXPANSÃO E O OESTE DA BAHIA É UMA REGIÃO BASTANTE PROMISSORA. É PERFEITAMENTE RAZOÁVEL PENSAR QUE, DENTRO DOS PRÓXIMOS 5 ANOS, A EXPORTAÇÃO DE SOJA NO ESTADO ALCANCE O PATAMAR DE 6 MILHÕES DE TONELADAS/ANO.


V.S.P - OS EMBARQUES DE SOJA NO T.C, TEM EVOLUÍDO EM QUE PERCENTUAIS, ANO A ANO, DESDE O INÍCIO DAS OPERAÇÕES E QUAL A PERSPECTIVA PARA O FUTURO?


S.F- NOS ÚLTIMOS ANOS, O CRESCIMENTO DA MOVIMENTAÇÃO TEM SIDO DA ORDEM DE 15 A 20% AO ANO E O TERMINAL TEM REALIZADO INVESTIMENTOS PARA ATENDER TODAS AS EXPECTATIVAS DE CRESCIMENTO DA MOVIMENTAÇÃO.


V.S.P - AS OPERAÇÕES COM SOJA NO PORTO DO MALHADO EM ILHÉUS, APESAR DE DIMINUTAS EM RELAÇÃO AO T.C, SÃO MOTIVADAS POR QUAIS FATORES LOGÍSTICOS OU É CONVENIÊNCIA DE CERTOS EXPORTADORES?


S.F- POR ILHÉUS, TEM SIDO ESCOADA APENAS A PRODUÇÃO DE SOJA NÃO TRANGÊNICA, O QUE REPRESENTA UM VOLUME MUITO POUCO EXPRESSIVO. ENTRETANTO, A PARTIR DO SEGUNDO SEMESTRE DESTE ANO, COTEGIPE CONTARÁ COM NOVAS INSTALAÇÕES DE ARMAZENAGEM (MAIS 7 SILOS DE 18.000 TONELADAS CADA), O QUE PERMITIRÁ A SEGREGAÇÃO DE CARGA E, PORTANTO, TAMBÉM A SOJA NÃO TRANGÊNICA DEVERÁ SER ESCOADA PELA BAÍA DE TODOS OS SANTOS A PARTIR DA PRÓXIMA SAFRA.


V.S.P - EM RELAÇÃO AO MALTE, SALVO ENGANO, O DONO DA CARGA É SCHINCARIOL, O T.C TEM REALIZADO GESTÕES COM OUTRAS CERVEJARIAS PARA ANGARIAR MAIOR MOVIMENTAÇÃO DESSE GRANEL?


S.F- O TERMINAL TEM REALIZADO, COM SUCESSO, A IMPORTAÇÃO DE MALTE PARA ESTE CLIENTE E PODERÁ ATENDER PERFEITAMENTE ÀS NECESSIDADES DE OUTROS CLIENTES QUE DESEJEM A IMPORTAÇÃO DESTE PRODUTO.


V.S.P - AS OPERAÇÕES COM MALTE E TRIGO SÃO REALIZADAS DIRETAMENTE DOS NAVIOS PARA OS CAMINHÕES, OU O T.C TEM EQUIPAMENTO PRÓPRIO E ESTEIRA PARA LEVAR OS GRANÉIS DO CAIS ATÉ OS SILOS DE ARMAZENAGEM?


S.F- AS OPERAÇÕES DE DESCARGA DE TRIGO SÃO FEITAS DIRETAMENTE PARA A ESTEIRA E A CARGA É TRANFERIDA PARA OS SILOS DE ARMAZENAGEM.
NO CASO DO MALTE, DE FATO, A DESCARGA É FEITA PARA CAÇAMBAS, É FEITA A PESAGEM DA CARGA NAS CAÇAMBAS E, EM SEGUIDA, A MERCADORIA VAI PARA OS SILOS. ENTRETANTO, COM AS MELHORIAS QUE ESTÃO EM ANDAMENTO, A PARTIR DO SEGUNDO SEMESTRE, TAMBÉM O MALTE SERÁ DESCARREGADO DIRETAMENTE PARA AS INSTALAÇÕES DE ARMAZENAGEM.


V.S.P - O GRUPO T.P.C TEM PLANOS PARA INVESTIR EM FUTURAS PARCERIAS NO PORTO DE ARATU NA ÁREA DE GRANÉIS SÓLIDOS?


S.F- O GRUPO TPC É OPERADOR PORTUÁRIO QUALIFICADO NO PORTO ORGANIZADO DE ARATU, ONDE OPERA, SOBRETUDO, FERTILIZANTES.


V.S.P - EM POSTAGEM NO BLOG CITAMOS O PÍFIO DESEMPENHO EM 2012 DO COMPLEXO PORTUÁRIO DA BAHIA -2,7% SEGUNDO NÚMEROS DA CODEBA, ENQUANTO O PORTO DE "SUAPE"  CRESCEU 25%, QUE LEITURA O SENHOR FAZ DESSES DADOS NO CONTEXTO DA LIDERANÇA ECONÔMICA E POLÍTICA DA BAHIA NO NORDESTE?


S.F- PENSO QUE NÃO SE PODE SIMPLIFICAR O QUE, DE FATO, NÃO É SIMPLES. A BAÍA DE TODOS OS SANTOS TEM UM COMPLEXO DE 7 PORTOS QUE, JUNTOS, TÊM UMA MOVIMENTAÇÃO BASTANTE SUPERIOR AO PORTO DE SUAPE.
SUAPE RECEBEU, DE FATO, MUITOS INVESTIMENTOS E VEM CRESCENDO, MAS O CRESCIMENTO DA MOVIMENTAÇÃO DOS PORTOS DA BAHIA NÃO PODE SER AVALIADO SOMENTE A PARTIR DA REALIDADE DE SALVADOR E ARATU.


V.S.P - EM ALGUM MOMENTO DA HISTÓRIA ECONÔMICA DA BAHIA HOUVE UM PLANO DIRETOR PARA OCUPAÇÃO RACIONAL DA BAÍA DE ARATU, VISANDO A COMPLEMENTARIEDADE OPERACIONAL ENTRE OS TERMINAIS PORTUÁRIOS ALI INSTALADOS, OTIMIZANDO O USO DO ESPAÇO?


S.F- SIM, ESTA É UMA PREOCUPAÇÃO DO GOVERNO DO ESTADO. RECENTEMENTE, A SECRETARIA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO APRESENTOU À SOCIEDADE ESTE TRABALHO.


V.S.P - AINDA EXISTEM ÁREAS PARA NOVOS TERMINAIS SEREM INSTALADOS OU AMPLIADOS NO CANAL DE ARATU?


S.F- SIM, A BTS É EXCEPCIONAL E AINDA EXISTEM ÁREAS COM GRANDE POTENCIAL, MAS, EVIDENTEMENTE, DEMANDARIAM ALGUNS INVESTIMENTOS DE DRAGAGEM, DERROCAGEM E ABERTURA DE ESPAÇO PARA QUE PUDESSEM OFERECER AS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS À IMPLANTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE TERMINAIS PORTUÁRIOS.


V,S.P - O GRUPO TPC REALIZA ALGUM TIPO DE PARCERIA OU OPERA CARGA NO TECON DO PORTO DE SALVADOR?


S.F- NÃO


V.S.P - QUANDO DA IMPLANTAÇÃO DO PORTO DE ARATU, EM SEU PLANO DIRETOR FALAVA-SE QUE AS FUTURAS AMPLIAÇÕES INCORPORARIAM ÁREAS NA ILHA DE MARÉ, O SENHOR QUE JÁ OCUPOU CARGO DE DIRETORIA NA CODEBA ALÉM DE TER ATUADO COMO ENGENHEIRO NA EMPRESA, PODERIA TECER ALGO SOBRE ISSO?


S.F- DESCONHEÇO PLANOS DE EXPANSÃO DO PORTO DE ARATU QUE VISUALIZEM A OCUPAÇÃO DA ILHA DE MARÉ PARA FINS DE ATIVIDADE PORTUÁRIA.


V.S.P- EM RELAÇÃO A BAÍA DE CAMAMU, PORTO DE CAMPINHO, O SENHOR VISUALIZA ALGUMA ÁREA ESPECÍFICA PARA ATIVIDADE PORTUÁRIA, SEM CONCORRER COM A VOCAÇÃO PARA TURISMO NÁUTICO DESSA BAÍA?


S.F- A BAÍA DE CAMAMU É EXCEPCIONAL E, SEM DÚVIDA, REUNE EXCELENTES CONDIÇÕES NATURAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE PORTUÁRIA.
ESTE POTENCIAL, ALIÁS, FOI MINUCIOSAMENTE DETALHADO EM ESTUDOS FEITOS PELO SAUDOSO MESTRE VASCO NETO HÁ CINQUENTA ANOS.
OCORRE, ENTRETANTO, QUE, NÃO TENDO SIDO TEMPESTIVAMENTE EXPLORADO O POTENCIAL DA REGIÃO PARA A ATIVIDADE PORTUÁRIA, HOJE, CONSIDERANDO O FLUXO DO TURISMO LOCAL, A HIPÓTESE DE INSTALAÇÃO DE UM PORTO EM CAMPINHO ENCONTRARIA, SEM DÚVIDAS, INÚMEROS OBSTÁCULOS, NOTADAMENTE NO QUE SE REFERE AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL.


V.S.P - O SENHOR PODERIA FALAR ALGUMA COISA SOBRE A FERROVIA JUAZEIRO - SALVADOR, E SE A MESMA NÃO PODERIA SER REVITALIZADA, FAZENDO PARTE DE UM SISTEMA DE INTERMODALISMO? 


S.F- ESTE É UM ESTUDO ANTIGO E QUE CONECTARIA O PORTO DE JUAZEIRO À BAÍA DE TODOS OS SANTOS ATRAVÉS DA FERROVIA JÁ EXISTENTE.
UM DOS GRANDES PROBLEMAS É A PULVERIZAÇÃO DAS RESPONSABILIDADES PARA JUNTAR TODAS AS ETAPAS DO PROJETO.


V.S.P- UM POUCO DE CONTEXTO POLÍTICO PARTIDÁRIO.  A BAHIA OFERECEU UMA VOTAÇÃO EXPRESSIVA TANTO PARA O EX PRESIDENTE "LULA" QUANTO A ATUAL PRESIDENTA "DILMA", EM CONTRAPARTIDA NÃO TEM RECEBIDO INVESTIMENTOS COMO OS OUTROS ESTADOS, COMO O SENHOR ANALIZARIA ESSE COMPORTAMENTO?


S.F- SOU EMPRESÁRIO E PROFESSOR. EM TODA A MINHA VIDA, JAMAIS MILITEI DIRETAMENTE NA POLÍTICA PARTIDÁRIA, DE FORMA QUE NÃO ME SINTO CAPAZ DE TECER COMENTÁRIOS SOBRE ESTES ASPECTOS.

  
V.S.P- QUAIS AS PRIORIDADES QUE DEVEM SER SEGUIDAS, DIANTE DA MÁXIMA ECONÔMICA - RECURSOS ESCASSOS E NECESSIDADES ILIMITADAS, EM RELAÇÃO À  ATIVIDADE PORTUÁRIA DA BAHIA?


S.F- PENSO QUE UMA LINHA DE PRIORIDADE SERIA O DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE PORTUÁRIA NA BAÍA DE TODOS OS SANTOS, CUJO POTENCIAL É EXTRAORDINÁRIO, VERDADEIRA DÁDIVA DA NATUREZA.


V,S,P - PROFESSOR SERGIO FARIA, PARA ENCERRAR GOSTARÍAMOS QUE O SENHOR FIZESSE UM CONTRAPONTO ENTRE O PRESENTE E O FUTURO PORTUÁRIO DA BAHIA, SUA COMPETITIVIDADE NO CENÁRIO DO PAÍS. O  QUE DEVE SER FEITO, O QUE NÃO DEVERIA TER SIDO FEITO?


S.F- NÃO APENAS A BAHIA, MAS O BRASIL NÃO FOI CAPAZ DE PERCEBER O MOMENTO DE INVESTIR ESTRATEGICAMENTE NO SETOR, A EXEMPLO DO QUE FEZ A CHINA E HOJE TEM OS PRINCIPAIS PORTOS DO MUNDO.
O QUE ACONTECE COM A BAHIA NÃO É DIFERENTE DO QUE ACONTECE EM TODO O PAÍS. O BRASIL NÃO ACORDOU PARA A IMPORTÂNCIA DA QUESTÃO PORTUÁRIA E ESTAMOS SENTINDO OS REFLEXOS DISSO NA ECONOMIA.
PARTICULARMENTE, NO CASO DA BAHIA, ACHO QUE UM ASPECTO INTERESSANTE SERIA A ESTADUALIZAÇÃO DOS PORTOS ORGANIZADOS, O QUE PERMITIRIA UMA MAIOR SINTONIA ENTRE AS AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA OS PORTOS E O PLANEJAMENTO ECONÔMICO DO ESTADO.



Um comentário: