Loading...
Loading...

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

ENTREVISTA SOBRE O MOMENTO POLÍTICO E ECONÔMICO DA BAHIA

ESTAMOS PUBLICANDO, UMA ENTREVISTA REALIZADA COM A REVISTA BAHIA NORTE, EDIÇÃO DE FEVEREIRO DE 2014, Nº 67. O ASSUNTO É ESCLARECEDOR EM RELAÇÃO AO MOMENTO POLÍTICO E ECONÔMICO DA BAHIA, ACREDITAMOS SER RELEVANTE SUA DIVULGAÇÃO. 



1- BAHIA NORTE – QUAL SUA LEITURA SOBRE O MOMENTO ATUAL DA ECONOMIA BAIANA E SUA CAPACIDADE PARA ATRAIR INVESTIMENTOS PRODUTIVOS?

JOSEMAR- Não vejo com otimismo o futuro da economia baiana. Apesar do governador da Bahia, Senhor Jaques Wagner, pertencer ao mesmo partido do ex- presidente Lula e da presidente Dilma, ficamos a ver navios, em relação a conquistar obras estruturantes para o Estado,  principalmente para o setor portuário. O grande exemplo é o Governador Eduardo Campos, que conquistou a Secretaria de Portos para seu grupo político, e  Suape, hoje, é um complexo portuário de ponta, enquanto os portos  da Bahia estagnaram, apesar de que, nosso PIB ser superior ao de Pernambuco. A Bahia perdeu competitividade, e com isto diminui sua capacidade de atrair investimentos produtivos, gerar renda e emprego.

2- B.N- RECENTEMENTE NOTICIOU-SE SOBRE RESISTÊNCIA DO GOVERNO DA BAHIA EM RELAÇÃO AO FORMATO DELINEADO PELO UNIÃO PARA CONCESSÕES DE NOVAS ÁREAS NO PORTO DE  SALVADOR, QUAL SUA VISÃO SOBRE O ASSUNTO?

JOSEMAR - Como foi dito anteriormente, a Bahia está estagnada como a sua estrutura portuária. O aditivo ao contrato do TECON , não resta dúvidas, permitiu a requalificação do porto da capital baiana, foi um fôlego, que deveria ter ocorrido há 10  anos atrás, pelo menos. . O momento realmente como defende o governo do estado é de aditar mais uma vez o TECON para assumir a nova área a ser construída, e não licitar um novo terminal, pois perderíamos escala, teríamos dois terminais de pequeno porte para a realidade atual. Se agíssemos com  maior impetuosidade política, no presente estaríamos com o de Salvador duplicado e discutindo um formato legal para um terminal de contêineres no porto de Aratu.

3- B.N- O PORTO DE  ARATU SE ENQUADRA NA MESMA REALIDADE?

JOSEMAR- Certamente. Aratu não foi alvo de ampliação em sua estrutura física faz mais de 2 décadas. O que tem de avaliar, nesse novo formato, é o respeito aos usuários de maior magnitude, a exemplo da BRASKEM e Caraíba Metais, pois realizaram intervenções requalificadoras nessa unidade portuária, ao longo do tempo, e isto tem que ser ponderado no momento das concessões. Um fato que demonstra a ausência de prestígio político da Bahia, é a inoperância de um dos berços de granéis sólidos de Aratu, praticamente a um ano, enquanto o governo Federal aplica mais de 700 milhões de dólares em um porto de Cuba.

3- B.N- O GOVERNADOR JAQUES WAGNER TEM APOSTADO NA LOGÍSTICA DO ESTADO EM DOIS INVESTIMENTOS, O PORTO SUL E A FERROVIA LESTE - OESTE.  SÃO PRIORITÁRIOS?

JOSEMAR- A máxima econômica "recursos escassos, para atenderem necessidades ilimitadas" deve ser trazida para o orçamento público. Nesse ângulo não elegeria essas duas obras como prioritárias, o Porto Sul e a Ferrovia Oeste leste,tem fundamentos políticos mais do que econômicos. A construção do segundo terminal de contêineres em Salvador, ampliação do Porto de Aratu e requalificação da ferrovia Juazeiro Salvador, são obras que deveriam ser implementadas num contexto de planejamento logístico para a Bahia, em virtude de não haver recursos para devaneios.

4- B.N- QUE CONTRAPONTO O SENHOR FAZ ENTRE OS PORTOS DE SUAPE EM PERNAMBUCO, PECÉM NO CEARÁ  E OS PORTOS PÚBLICOS DA BAHIA?

JOSEMAR - A Bahia não fez seu dever de casa quanto a brigar por recursos federias para aperfeiçoar seus portos,  tinha a faca e o queijo nas mãos, tinha a dianteira política por seu Governador pertencer ao mesmo partido do governo da União, mas com tudo isto a seu favor perdeu o momento para Pernambuco e  Eduardo Campos. SUAPE é o futuro, nossos portos públicos ainda patinam no passado. Com a saída de Eduardo Campos e seu partido da base aliada do governo federal, não entendo por que só agora o Governador despertou para a questão dos portos.

5- NO "VIAJANTE SEM PORTO" PERCEBE-SE SEU POSICIONAMENTO CONTRÁRIO A OBRA DA PONTE SALVADOR ITAPARICA, ISTO PROCEDE?

JOSEMAR- Sim, a Bahia é um estado com diversas carências em infra estrutura e demandas sociais, como então admitir, em sã consciência, a intenção de  construir uma ponte que a preços de hoje atingiria R$12 bilhões, isto agora, porque sabemos o que acontece em algumas obras públicas neste país. Em contra partida não temos metrô em operação, o sistema Ferry Boat carece de investimentos e fiscalização, a nossa rede de estradas tem que ser ampliada e melhor mantida. Pasmem, das 4 cabines do elevador Lacerda só duas funcionam, a Estação da Lapa está no mais completo abandono, três dos planos inclinados que ligam a cidade baixa à cidade alta não funcionam, faz tempo. Se a capital está neste estado, imaginem os outros municípios. Esse projeto falacioso é uma acinte a inteligência do povo baiano.

6- O SENHOR TEM DEFENDIDO EM SEU BLOG, QUE HOUVE UMA CONSPIRAÇÃO POLÍTICA CONTRA OS INTERESSES DA BAHIA. QUAIS OS FUNDAMENTOS?

JOSEMAR - As respostas anteriores dizem um pouco dessa lenda, que acredito ter princípios de verdade. Conta-se que o Estado da Bahia nos ido do Senador Antônio Carlos Magalhães, desenvolveu-se de forma estruturante e multiplicadora o seu perfil econômico, retirando a Bahia de um provincianismo lastreado na agro indústria, para uma economia com um forte setor secundário. O complexo petroquímico de Camaçari e Caraíbas Metais são importantes exemplos desse momento, onde ACM, utilizava o tripé, força política, planejamento e incentivo fiscal, para suplantar as vantagens comparativas em relação a estados  mais desenvolvidos.O momento épico, foi quando ACM sozinho politicamente, enfrentou forças descomunais, conseguindo trazer a montadora FORD para nosso Estado em detrimento do Rio Grande do Sul. Este episódio foi o cerne da questão conspiratória, que culminou na perda das eleições pelo PT no governo gaúcho. Este partido ficou com uma espinha atravessada na garganta, e logo que o Petista Jaques Wagner assumiu o governo baiano foi dado a senha, pela cúpula petista, para que a Bahia ficasse na geladeira, pois tinha conseguido muito na era de ACM, e agora será a vez dos demais. Suape, Pecém, a FIAT em Pernambuco, a fábrica de polímero verde da Braskem, são elementos que fundamentam a teoria conspiratória. Percebam também, o vazio em termos de ministérios, tantos em número como em importância, em detrimento da representatividade política e econômica do estado no cenário nacional. O PT nacional foi e está sendo injusto com os votos recebidos de uma parcela da sociedade baiana que acreditou no seu projeto político.

7- EM RELAÇÃO AO FOMENTO DA ATIVIDADE NÁUTICA DE LASER COMO FONTE GERADORA DE RIQUEZA, OUTRO TEMA TRATADO NO BLOG,  COMO O GOVERNO BAIANO VEM TRATANDO ESTA ÁREA?

JOSEMAR- Com pouca ou quase nenhum atenção ou prioridade. Apesar da redundância, lembramos das espetaculares condições que a Bahia apresenta para o desenvolvimento da atividade náutica de laser, a exemplo do clima e navegabilidade do seu litoral, especialmente a nossa Baía  de Todos os Santos, aliados a uma rica cultura náutica, fazem do nosso estado um local como poucos no globo para levar avante este setor. Isso significaria mais emprego e renda para nossa população, advindos da exploração de marinas, estaleiros, empresas de charter, etc, Entretanto, parece que, o governo não tem um plano diretor para o desenvolvimento do setor, ou pessoal preparado para tocar de forma eficiente os recursos  públicos disponíveis, apresentando um ambiente econômico estável, onde os empresários sintam segurança em investir. Perdemos todos as regatas internacionais que tínhamos captado, perdemos também os estaleiros de embarcações de laser aqui instalados, apesar de sermos talvez o quarto mercado náutico do país; não temos nenhum programa de formação de mão de obra para o setor, em suma mais uma vez a Bahia perde o bonde das vantagens comparativas. Com toda as nossas vantagens, recebemos menos turistas que o balneário de Cancun, no México.

8- A BAHIA FOI UMA MARCA DE REFERÊNCIA POSITIVA NO SETOR TURÍSTICO DO PAÍS ,  CONTINUAMOS NESTE CAMINHO?

JOSEMAR- Não, recentemente saiu uma pesquisa constatando que o setor hoteleiro baiano teve o pior desempenho dos últimos 10 anos. Ocupação hoteleira é o maior termômetro para verificar como anda o turismo em um local qualquer, por si só esta notícia fala por tudo. As causas, acredito, tem a ver com o próprio cenário que envolve o estado,de perdas de posições relativas em diversos setores, por investimentos insuficientes ou mal aplicados. A violência crescente em Salvador e no resto do estado, que é veiculadas em diversos noticiários; o descaso com os valores culturais do nosso povo é outra vertente negativa para o setor.

9- ACONTECERAM EM VÁRIAS CIDADES MANIFESTAÇÕES POPULARES EM JUNHO PASSADO, HOJE COM MENOR ÍMPETO, OS GOVERNANTES APRESENTARAM  RESPOSTAS  PARA ESTES  CLAMORES DAS  RUAS?

JOSEMAR - Evidente que não. Apenas distrações, para desviar o cerne dos verdadeiros e profundos problemas que assolam o país. Maior taxa de juros do planeta, carga tributária equivalente aos países de primeiro mundo com serviços públicos acintosos e deficitários, violência sem paralelo, com índices de homicídios superiores a alguns teatros de guerra, corrupção que vampiriza a dignidade do cidadão, impunidade, por ai vai. Pergunto o que foi realizado pelo governo para sanar esse cenário e dar uma resposta honesta a sociedade? Mais médicos, estádios de futebol, copa do mundo, assistencialismo, criação de ministérios e secretarias de estado, promessa de reforma política inócua. Foram estes narcóticos a contra partida oferecida.

10- COMO O SENHOR OBSERVA O MOMENTO POLÍTICO NA BAHIA?

JOSEMAR- O senhor Jaques Wagner, líder do partido dos trabalhadores na Bahia, tem um cenário de dificuldades pela frente, em virtude das intenções mútuas de candidaturas a governador no seio da sigla. Isto é um dilema que ele terá que enfrentar. Além dessa dificuldade, o governo petista não conseguiu diluir os desgastes com as greves dos professores e policiais no estado, pelo contrário, agravou a antipatia quando concedeu o reajuste geral dos servidores neste ano, que não foi um processo pacífico, onde a categoria acusou os sindicatos de passividade diante do governo, Agora vem pela frente o pagamento da URV. Comenta-se nos bastidores que se Wagner não promover um acordo em relação esse passivo de forma imediata será um suicídio político. A perda para ACM Neto na eleição da prefeitura da capital e na segunda cidade da Bahia, também foi um golpe no emocional dos petistas. Em suma o horizonte para o PT e a base política que o apóia, não sinaliza um mar de almirante no pleito de 2014.

11- O SENHOR ESTÁ FILIADO OU NUTRE SIMPATIA POR DOGMA DE ALGUM PARTIDO POLÍTICO?

JOSEMAR- Sim, filiei-me ao Partido Verde. Por afinidade de princípios e pela vanguarda política. O verde sempre ousou em seus ideais de desenvolvimento sustentável e justiça social.


LINK DA REVISTA BAHIA NORTE - http://revistabahianorte.com.br/